Sexta, 17 de Novembro de 2017

Novos ares para a TIC do Distrito Federal Reprodução/Internet

Novos ares para a TIC do Distrito Federal

A votação para a Presidência da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), no último dia 15 de dezembro, reflete um novo momento da base política do Brasil – um movimento de mudanças que começou nas ruas, incentivado pela população, e foi bem aproveitado pelos parlamentares. 

A escolha de Joe Valle para ocupar o mais alto posto do Legislativo do DF foi inteligente e estratégica, sob o ponto de vista do setor de Tecnologia da Informação e Comunicações (TIC). Apesar do bastidor tumultuado e das entrelinhas, alvo de discussões partidárias, a eleição do deputado laureia um novo cenário para a TIC local, visto que se trata de um importante interlocutor da indústria de TI à frente de uma instituição com tamanho poder decisivo nas políticas públicas locais, capaz de mudar a matriz econômica do DF.

O novo presidente da CLDF é um exímio defensor da TI como fonte de renda, emprego e transformação social a partir das oportunidades que gera. Com vasta experiência obtida ao longo de anos no serviço público e como empresário do setor de produção agrícola, Joe Valle teve um papel de destaque na luta pelo Parque Tecnológico de Brasília, local que irá abrir mais de 60 mil vagas de trabalho e incentivar a indústria limpa, sustentável.

Há muitos anos, o Sindicato das Indústrias da Informação (Sinfor/DF) pleiteia por representatividade na Câmara Legislativa. Após anos de espera e um trabalho forte de sensibilização dos parlamentares, conquistou-se um presidente que entende o setor e isso é importante para impulsionar a Tecnologia da Informação local. 

O Sinfor/DF reivindica melhorias no ambiente de negócios em 2017, para a TIC no DF. Para começar, a unificação do Imposto Sobre Serviços (ISS) em 2%, como forma de fixar e fortalecer as empresas de TIC. Esse padrão facilitará não só a polêmica da sua aplicabilidade, mas o crescimento da indústria e o investimento em inovação. 

Os empresários também estão ansiosos pelos editais do Fundo de Apoio à Pesquisa (FAP), voltados às empresas de TIC, como vetor para a inovação e o desenvolvimento de produtos. A promessa era de lançamento para 2016, o que não ocorreu e aumentou a frustração de projetos relevantes. 

No âmbito do Parque Tecnológico Capital Digital, o que se espera são benefícios econômicos para as empresas de TIC com sede no DF, uma vez que o objetivo de parque com este formato é de desenvolvimento prioritário para o setor local. Essa estratégia está descrita claramente no projeto inicial do espaço, cujo escopo precisa ser respeitado para que não se perca o sentido de tamanho investimento. 

Com Joe Valle no comando da CLDF temos a esperança de tempos melhores, de mudança no rumo do trato político, de afirmação da Casa como parceira do povo de Brasília, e do reconhecimento do setor de TIC como fundamental para a geração de riqueza e renda para a população do Distrito Federal.

Ano Novo tem sempre o espírito de renovação, na crença que as mudanças são sempre necessárias para transformar o nosso país, a nossa cidade e as nossas vidas, para alcançarmos a felicidade e prosperidade que tanto almejamos. Feliz 2017!

Ler 356 vezes