Terça, 19 de Setembro de 2017

Escrito por Publicado em Tecnologia da Informação Maio 22 2017

Na primeira semana de experiência do sistema de biometria facial, a tecnologia já apontou o uso irregular de usuários do Passe Livre Estudantil em ônibus da linha 110. Os testes estão sendo realizados em 10 coletivos da Piracicabana, que faz o trajeto Rodoviária-Universidade de Brasília (UnB).

Imagens cedidas pela Secretaria de Mobilidade mostram reprodução das telas do sistema do controle das câmeras de identificação biométrica facial, com exemplos de uso irregular dos cartões do Passe Livre. Para o chefe da pasta, Fábio Damasceno, esse resultado comprovou que existem fraudes no sistema e que as pessoas estão repassando para terceiros o direito das gratuidades. 

A irregularidade, segundo ele, causa prejuízos significativos. “O combate a esse tipo de fraude é feito desde o ano passado com o recadastramento dos estudantes. Agora, a última fase, que dependia da tecnologia, comprovou que de 15% a 20% dos usuários utilizam o benefício de forma irregular”, explica.

 

Com o auxílio de câmeras fixadas acima dos validadores de cartão, a nova tecnologia mostrou perfis incompatíveis de beneficiários do Passe Livre Estudantil que utilizaram a linha 110 nesse trajeto. A identificação da fraude foi feita por meio de imagens registradas no momento em que o usuário passou o cartão no validador. Comparadas com a foto do cadastro existente no sistema do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), ficou revelada a diferença.

Os titulares que apresentaram incompatibilidade de perfil serão notificados e, posteriormente, terão os cartões bloqueados.

 Fonte: Metrópoles


Escrito por Publicado em Tecnologia da Informação Maio 22 2017

A saída do distrital Cláudio Abrantes da base do governo Rodrigo Rollemberg (PSB) e do partido Rede provocou uma reação em cadeia. Indicado pelo parlamentar, o secretário adjunto de Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcelo Aguiar (foto em destaque), entregou a carta de demissão ao governador na manhã desta quarta-feira (17/5). Aguiar estava no cargo desde 19 de maio de 2016.

Antes mesmo do pedido de exoneração ser formalizado, Rollemberg convidou o deputado Rodrigo Delmasso (Podemos) para assumir a pasta. Mas, dificilmente, Delmasso se licenciará do mandato.

Caso o distrital — que hoje é o líder do governo na Câmara Legislativa — aceite o convite do governador, a suplente Jaqueline Silva (PPL) assumirá o mandato.

 

Ao mesmo tempo, Rollemberg emplacará como líder do governo na CLDF Agaciel Maia (PR), candidato que apoiou durante as eleições da Câmara Legislativa, quando Joe Valle (PDT) venceu a disputa pela presidência.

Saída de Abrantes
Cláudio Abrantes ainda não anunciou a nova legenda, mas deve estar junto com Joe Valle (PDT) em 2018, independentemente do cargo que pleitear nas urnas. Marcelo Aguiar, que pode disputar um cargo eletivo, deve seguir o mesmo caminho.

Abrantes deixou a base de apoio do governo na terça-feira (16/5) devido ao impasse nas negociações salariais da Polícia Civil. A categoria quer paridade com a Polícia Federal. Porém, o governador se negou a avançar nas negociações.

Baixa na Fazenda
Na terça (16), João Fleury Teixeira anunciou que deixará a Secretaria de Fazenda a partir de 1º de junho. Ele pediu para sair alegando problemas familiares. Fleury foi o terceiro nome a assumir a secretaria na gestão Rollemberg, em janeiro de 2016. Wilson José de Paula, secretário adjunto, responderá interinamente pela pasta. Ele é auditor fiscal da Receita do DF desde 1995.

Fonte: Metrópoles


Escrito por Publicado em Tecnologia da Informação Maio 22 2017

O governo do Distrito Federal lançou hoje (19) o aplicativo Amamenta Brasília, para os sistemas operacionais Android e iOS (iphone), que visa ampliar o fornecimento aos bancos de leite da região. O evento, ocorrido na estação de metrô de Águas Claras, celebra o Dia Mundial de Doação de Leite Humano.

O aplicativo deve elevar a marca de abastecimento de 1.350 a 1.500 litros de leite por mês, segundo a coordenadora dos bancos Miriam Santos. Em um ano, o portal teve a média de 463 acessos e ajudou a arrecadar 15.893 litros de leite.

Ao discursar no evento, a coordenadora ressaltou o papel do aperfeiçoamento da comunicação na formação de uma rede de incentivo. Ela disse que as mães doadoras se transformam, com as redes sociais, em facilitadoras e multiplicadoras.

“Precisamos trazer a doação de leite para o século XXI. A comunicação hoje é rápida”, disse. Com as ferramentas digitais administradas pelas superintendências regionais e pelas doadoras, são geradas cerca de 30 novas adesões de mães por dia, segundo ela. Antes, eram somente seis ou sete.

Nos quatro primeiros meses do ano, 3.643 crianças receberam leite materno em UTIs neonatais no DF.

Segundo a assessoria de imprensa, a cobertura total é um dos fatores que validam o título de cidade autossuficiente em leite humano, conferido a Brasília pelo Ministério da Saúde. Com critérios diferentes de outros estados, o Distrito Federal não interrompe a entrega do leite quando o bebê atinge o peso ideal.

Desenvolvido pela empresa Moringa Digital, o aplicativo evitará situações como desencontros da doadora com os bombeiros coletores. Além do agendamento, as mães poderão receber notificações durante o recolhimento, obter instruções de coleta e a lista de todos os bancos de leite do DF.

A primeira-dama Márcia Rollemberg, informou, na oportunidade, que dez automóveis serão adicionados à frota do projeto. Para ela, a modernização reafirma “novas formas de se pensar as relações”.

Benefícios do aleitamento

Além de fornecer ao bebê vitaminas, minerais e proteínas fundamentais para o equilíbrio de seu organismo, o aleitamento traz benefícios às mães, que, de acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), diminui os riscos de câncer de mama e ovários. É exclusivamente por meio de substâncias do leite materno que a criança adquire proteção contra doenças como pneumonia, infecções de ouvido, alergias e diarréia.

As formas de nutrição de lactentes e crianças da primeira infância têm piorado. Em relatório do Unicef atualizado em dezembro de 2013, a organização assinalou que, de 2008 a 2012, 67,7% dos bebês iniciaram o aleitamento materno na primeira hora após o parto. Pelo menos 41% das crianças com menos de seis meses de idade tiveram como única fonte de alimento a amamentação e 25,2% foram lactantes até os 2 anos de idade. Dados de outubro de 2016 apontaram que os números foram, respectivamente, de 43%, 39% e 26%.

A década de 1970, de acordo com Miriam, firmou a posição da mulher no mercado de trabalho e abalou a percepção sobre o aleitamento. Desde essa época, o discurso favorável ao leite materno precisou ser reiterado.

A coordenadora dos bancos de leite disse que no Brasil, a opção pelo leite humano prevalece entre as mulheres de baixa renda. “Inclusive, a população que mais doa leite é a menos favorecida. Mães que têm um melhor poder aquisitivo acham que aquele substituto do leite materno pode ser a mesma coisa e não é, é leite de vaca na lata. Ela sofre a influência dessa mídia, das indústrias de alimento, achando que isso é melhor. Isso é marketing. [As mulheres pobres] vão para as unidades do SUS. As nossas unidades do SUS trabalham com isso diariamente, com o aleitamento”, afirmou.

Mobilização mundial

Expoente de defesa da causa, a World Alliance for Breastfeeding Action (WABA) organiza, anualmente, a Semana Mundial de Amamentação, há 25 anos. A rede chama a atenção para o alastramento da temática, que passa a compreender, inclusive, dilemas ambientais e direitos do consumidor.

O aleitamento materno surge, na perspectiva de seus defensores, como oposição e resistência à incorporação de fórmulas artificiais de alimento. Organizações como a Waba argumentam que os produtos artificiais são nocivos tanto para a saúde infantil como para o ecossistema. Neste ano, as atividades do evento ocorrerão de 1º a 7 de agosto.

Serviço

A doadora pode agendar a coleta pelo aplicativo, pelo site ou por telefone, através da opção 4, do 160. As mães podem, ainda, comparecer a um dos 14 bancos de leite ou postos de coleta. As informações estão disponíveis no site oficial da campanha: http://amamentabrasilia.saude.df.gov.br/

Fonte: Agência Brasil


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Abril 25 2017

 

O Presidente do SINFOR/DF, convida a todos os diretores do sindicato e empresários
do setor de TI para esta importante palestra sobre o tema:
 
“Enquadramento Sindical – Possibilidades e Consequências Práticas”.
 
Na ocasião, será feita  detalhada explanação sobre a
 
forma correta de enquadrar as atividades econômicas de uma empresa,
 
bem como questões ligadas às consequências do incorreto enquadramento e da
adoção de convenções coletivas inadequadas para as atividades do setor.
 
Trata-se de grande oportunidade para que os diretores do sindicato possam
identificar as empresas que compõem a base representada e para os
empresários se certificarem que estão pagando corretamente seus impostos,
evitando a duplicidade de pagamento. Para isso contam com o apoio de seus
contadores que precisam se atualizar, visando prestar um serviço de qualidade
ao seu cliente.
 
Venha participar e tirar todas as dúvidas sobre o tema.
 
As inscrições podem ser efetuadas até o dia 25/04/2017, impreterivelmente,
por meio da área específica no convite “Inscreva-se aqui”.
 
Contamos com a sua participação!


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Abril 11 2017

Diretores e associados do Sindicato das Indústrias da Informação do Distrito Federal (Sinfor/DF) aprovaram, em Assembleia Geral, o parecer do Conselho Fiscal a favor da prestação de contas da entidade. A análise teve como base o exercício do ano de 2016.

 

O parecer foi apresentado pelos conselheiros Acir Medeiros, Antonio Rui e Paulo Foina. Todas as despesas e investimentos realizados ao longo do último ano foram aprovados por unanimidade pela Assembleia reunida. 


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Abril 11 2017

Associada Sinfor recebe prêmio internacional


Escrito por Publicado em Tecnologia da Informação Abril 03 2017

Vai começar a venda de ingressos para a primeira Campus Party realizada em Brasília. Com a pré-venda encerrada neta sexta-feira (31), o 1º lote, de abril, dará direito aos cinco dias do maior evento de tecnologia, empreendedorismo e inovação do mundo.

O lote de abril custa R$ 150 só o ingresso, R$ 220 a entrada com camping individual e R$ 230 o ticket de acesso com camping duplo. Os interessados devem adquirir pelo site do evento. A partir de maio, segundo lote, a entrada custará R$ 250 com camping individual e em junho, mês da feira, R$ 280 com o camping.

A Campus Party Brasília vai ser realizada entre 14 e 18 de junho no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Segundo o secretário adjunto do Trabalho e Empreendedorismo do DF, Thiago Jarjour, o evento é abrangente e deixa marcas pelas cidades. “Por onde ela passa, deixa um legado. Esperamos que em Brasília seja assim.”

Jarjour destaca ainda que o festival ajudou a implementar células empreendedoras em universidades e de robótica livre em escolas públicas em outros países. “O exemplo poderia ser seguido aqui, e a Campus Party servir de mola propulsora para a implementação do Biotic – Parque Tecnológico”, acrescentou.

Origem

A Campus Party surgiu na Espanha, em 1997, e é considerado um dos maiores festivais de tecnologia do mundo. Ocorre anualmente na Argentina, na Costa Rica, no Equador, na Holanda, na Itália e no México. Além desses países, foi promovido na Alemanha, na Colômbia, em El Salvador e na Inglaterra.

No Brasil, a primeira edição foi em São Paulo, em 2008, e teve 3,3 mil participantes. No ano seguinte, o número mais que duplicou, reunindo 6.655 pessoas. Desde 2012, Recife também começou a desenvolvê-lo, com cerca de 2 mil inscritos. No ano passado, 12 mil pessoas estiveram na Campus Party nos dois estados — 4 mil em Pernambuco e 8 mil em São Paulo.

 

Fonte: Jornal de Brasília


Escrito por Publicado em Tecnologia da Informação Abril 03 2017

O secretário adjunto do Trabalho, da Secretaria de Estado do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos do Distrito Federal (Sedestmidh), Thiago Jarjour, apresentou aos diretores da Fecomércio-DF, durante a reunião mensal de diretoria da entidade, realizada nesta quarta-feira (30), algumas mudanças na secretaria que geraram uma redução de gastos de R$ 4,2 milhões. Esse foi o montante que a pasta conseguiu economizar aos cofres públicos em 2016 após adotar uma série de medidas de corte de despesas. Durante a reunião, o secretário anunciou também que 4 mil pessoas devem participar da Campus Party Brasília, de 14 a 18 de junho, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Essa é a primeira vez que o evento ocorrerá no Distrito Federal. A expectativa é fortalecer o ambiente de inovação e tecnologia do mercado local.

De acordo com Jarjour, o ponto que mais impactou as contas da secretaria foi a mudança de endereço de algumas unidades. Agências do trabalhador de Planaltina, Itapoã, Guará e Recanto das Emas passaram a funcionar dentro das administrações regionais. Os valores dos alugueis variavam entre R$ 3.943,34 e R$ 17.000, poupando R$ 645.465,60 no acumulado de 12 meses. A sede da secretaria migrou do Setor Bancário Norte, deixando de pagar R$ 1.462.800 de aluguel anuais. Com a ida para o prédio onde já funcionava a Agência do Trabalhador no Setor Comercial Sul, o valor do contrato baixou para R$ 971 mil anuais, sendo 60% (R$ 582.600) custeados pelo Ministério do Trabalho e Emprego, via convênio. Isto representa economia de R$ 1.076.673,54 por ano ao GDF.

O secretário explicou ainda que outras soluções simples, como a mudança da telefonia tradicional para o sistema de Voip (ligações via internet), reduziu as contas anuais em R$ 783,6 mil em relação às do governo anterior. Para ele, as mudanças funcionam como uma questão de respeito ao contribuinte. “Precisamos entregar sempre o melhor resultado com o menor custo possível. Essa é a premissa de qualquer empreendimento de sucesso, seja público ou privado. Eu e a equipe da secretaria sentamos, analisamos as contas e identificamos pontos nos quais poderíamos cortar custos, sem prejuízos aos serviços prestados à população”, destacou.

Campus Party Brasília

Durante a reunião, Thiago Jarjour explicou que a secretaria tem atuado para aproximar a juventude empreendedora da cidade das oportunidades criadas pelo festival Campus Party, considerado o maior do mundo a reunir jovens para discutir inovação, criatividade, ciências, empreendedorismo e universo digital. Quem pretende acampar no espaço já pode adquirir o ingresso para o evento. Até 31 de março, fica aberta a pré-venda dos passaportes pelo site oficial da Campus Party. “A Campus Party deve trazer muitas contribuições para Brasília. Temos visto o despertar de uma veia empreendedora muito forte, que pode estimular uma nova matriz econômica”, explicou Thiago.

O fortalecimento do empreendedorismo na cidade é um dos legados da edição Brasília, de acordo com o secretario. A proposta foi levada pelos empreendedores para a Campus Party Brasil de 2016, em São Paulo. Lá, eles apresentaram a ideia e captaram investidores para aprimorar a plataforma.

Áreas mais beneficiadas pelo Prospera-DF

O Secretário de Trabalho comunicou ainda que microempresários terão R$ 11 milhões de incentivo do governo em 2017. Segundo dados apresentados durante a reunião, neste primeiro lote de 2017, foram distribuídos R$ 100.510,58 em empréstimos para oito microempresários urbanos (com o total de R$ 55.060) e dois rurais (R$ 45.450,58). O segundo lote, com cerca de R$ 419 mil, será entregue em 18 de abril. “O fundamental é que os donos de pequenos negócios procurem as Agências do Trabalhador, se informem e busquem o financiamento”, enfatizou Thiago.

A primeira edição do Prospera, em 2015, beneficiou 248 microempreendedores, com R$ 3.030.673,29. No ano passado, 823 pessoas fizeram jus ao empréstimo, com a quantia de R$ 9.912.279,07. De acordo com levantamento da Secretaria do Trabalho, os setores mais beneficiados com o Prospera foram agricultura (42%), comércio (37%), serviços (11%), indústria (6%), pecuária (3%) e artesanato (1%). A área urbana ficou com 55% do montante, e a rural, com 45%.

Fecomércio-DF recebe visita de presidente da Federação do Amapá

O presidente da Fecomércio do Amapá, Eliezir Viterbino, o vice presidente, Marcos Antônio Marques, e o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae do Amapá, Mateus Silva, visitaram as instalações da Fecomércio no Distrito Federal nesta quarta-feira (29).  Eles foram recebidos pelo presidente da instituição, Adelmir Santana, e pelo superintendente da Fecomércio-DF, João Feijão. Na oportunidade, os diretores da Federação do Amapá conheceram as instalações da Fecomércio e a rotina de trabalho em Brasília.

Na economia do estado do Amapá predominam as atividades do setor terciário, com forte concentração nas áreas urbanas, principalmente na capital Macapá. De acordo com o presidente da Fecomércio-AP, Eliezer Viterbino, por estar localizado estrategicamente numa região de fronteira internacional, o estado do Amapá apresenta uma situação favorável para a realização de parcerias comerciais com países vizinhos. Segundo ele, o setor mais representativo na composição do PIB estadual é o de comércio e serviços, com participação relativa de 85,8%. “O Amapá é um Estado que hoje vislumbra um futuro de fortalecimento econômico apostando no seu crescimento comercial. Os números confirmam que o crescimento do comércio e serviços contribuem para o desenvolvimento do Amapá”, explicou Eliezer.

 

Fonte: Fecomércio


Escrito por Publicado em Tecnologia da Informação Abril 03 2017

Para facilitar o acesso ao Sistema Eletrônico de Informações (SEI), foi lançado nesta sexta-feira (31) um portal exclusivo que reúne as funcionalidades do serviço e fornece mais utilidades. Permite, por exemplo, a verificação de autenticidade de documentos eletrônicos por meio de assinatura digital.

O SEI é uma plataforma eletrônica on-line que faz a tramitação ágil de processos e documentos. Segundo a secretária de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos, o sistema é uma medida que melhora o controle e diminui os custos no governo. “A implementação do SEI significa uma gestão mais ágil, mais moderna e mais eficiente.”

Com o portal, a plataforma ganha um meio de navegação mais amigável, com acesso a mais serviços. Agora os relatórios e projetos públicos podem ser conferidos com datas e informações. Além disso, manuais, tutoriais e a legislação sobre o SEI estão presentes no portal para facilitar a utilização do sistema.

Para os cidadãos em geral, também é possível se cadastrar como usuário externo pelo portal. Basta criar um login e uma senha para que se possa dar entrada em processos.

O Instituto Brasília Ambiental (Ibram), por exemplo, dá permissão de eventos em parques ecológicos do Distrito Federal por meio do cadastro, que tinha que ser feito pessoalmente no órgão.

Eventualmente, será possível para usuários externos acompanharem tramitações de processos públicos por meio do SEI. A previsão é que o serviço seja fornecido no sistema a partir de abril.

Uma plataforma escolhida como solução nacional

Desenvolvido pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, o SEI foi escolhido como solução para o Processo Eletrônico Nacional. A iniciativa foi do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, com o objetivo de criar uma infraestrutura pública de processos e documentos eletrônicos.

Para o sistema ser implementado na administração de Brasília, foi firmado acordo com o Ministério, por meio da Secretaria de Planejamento. Cada órgão e pasta do governo local que for colocar os processos no SEI precisa ter uma portaria conjunta assinada pela secretária Leany Lemos.

Com a centralização eletrônica, as trocas entre as pastas ficam mais rápidas. Um documento que precisava ser protocolado e levado entre duas secretarias é enviado e recebido imediatamente. Isso porque o sistema legitima instantaneamente a comunicação e pode ser acessado em celular, tablet ou computador.

Assim, é possível economizar papel e combustível. Para que o sistema funcione com todos os documentos e processos em rede, foi criado um datacenter (base física das informações) na Subsecretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação, vinculada à Secretaria de Planejamento.

Mesmo com a centralização física dos arquivos, os procedimentos sigilosos dos órgãos são separados uns dos outros. Apenas os documentos públicos ficam disponíveis para todos os servidores com acesso ao sistema.

Até o momento, estes são os 13 órgãos de Brasília com processos introduzidos no SEI:

 

Arquivo Público

Casa Civil

Casa Militar

Controladoria-Geral do DF

Corpo de Bombeiros Militar do DF

Instituto Brasília Ambiental (Ibram)

Polícia Militar do DF

Procuradoria-Geral do DF

Secretaria de Fazenda

Secretaria de Gestão do Território e Habitação

Secretaria de Mobilidade

Secretaria de Planejamento

Secretaria de Saúde

 

 

A Secretaria de Planejamento prevê que sejam 30 órgãos até o fim de 2017. Toda a administração local deve estar com os processos no sistema até 2019.

Fonte: Agência Brasília


Página 3 de 12