Domingo, 19 de Novembro de 2017

Destaques Sinfor

Destaques Sinfor 53

Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Fevereiro 15 2016

A falta de demanda para as indústrias brasilienses tem feito com que os empresários registrem quedas expressivas na produção e nos postos de trabalho do setor. De acordo com a Sondagem Industrial, levantamento apurado em dezembro pela Federação das Indústrias do DF (Fibra), em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que a “Demanda Insuficiente” é o principal problema enfrentado pelo industriário local, sendo assinalado por 55,6% dos entrevistados. Aparecem em segundo e terceiro lugares a “Falta ou o alto custo da matéria-prima” (33,3%) e a elevada carga tributária (29,6%), como entraves para a retomada de crescimento do setor.

Segundo a pesquisa, o índice de evolução da produção alcançou 38,4 pontos em dezembro. Frente a igual período do ano anterior, houve recuo de 1,9 ponto percentual. Se comparada à média histórica, a produção industrial caiu 9,6 pontos. A metodologia da pesquisa considera valores de 0 a 100 pontos. O distanciamento da linha divisória dos 50 pontos sinaliza queda mais disseminada nos indicadores pesquisados.

O número de empregos na indústria, por exemplo, fechou dezembro em 34,3 pontos, retração de 3,9 pontos frente ao mês de novembro. O movimento indica que a queda dos empregos foi mais acentuada no período em análise – este foi o pior resultado do indicador desde o início da série em 2010.

Já o índice médio da Utilização da Capacidade Instalada (UCI), por sua vez, alcançou 62% em dezembro, aumento de 4 pontos percentuais na comparação com o mês anterior. Embora tenha sido registrado aumento na UCI no período, em relação a iguais meses de anos anteriores, o resultado para o mês de dezembro do UCI efetiva-usual ficou em 28,3 pontos – também o pior resultado da série para os meses de dezembro.

Os galpões industriais também estão esvaziando. O levantamento mostra que os estoques finais ficaram em 38,2 pontos, recuo de 6,9 pontos em relação ao mês de novembro.

 

Confiança abalada

Diante do cenário apresentado pela Sondagem Industrial o clima empresarial não podia ser de otimismo. O Índice de Confiança do Empresário Industrial do DF (ICEI/DF), também apurado pela Fibra, em parceria com a CNI, fechou o mês de janeiro em 36,7 pontos, recuo de 0,1 ponto frente ao mês anterior. Em relação à média histórica dos últimos cinco anos (50,1 pontos), o índice registrou recuo de 13,4 pontos. O posicionamento do ICEI/DF bem abaixo da linha dos 50 pontos reflete a falta de confiança dos empresários no cenário de curto prazo.

O resultado do ICEI em janeiro é puxado pelo indicador de Condições Atuais, que ficou em 25,1 pontos neste início de ano. Verifica-se a descrença do empresário diante da Economia Brasileira (17,4 pontos); da Economia do DF (19,2 pontos) e até quanto a própria empresa (28,5 pontos).

O Indicador de Expectativas também encontra-se abaixo dos 50 pontos, registrando, em janeiro, 42,5 pontos. Embora seus componentes tenham apresentado aumentos na comparação com dezembro, todos os índices permanecem distantes da linha divisória, o que demonstra falta de confiança em relação ao futuro.

Contudo, percebe-se que o sentimento de pessimismo é comum ao País como um todo. O ICEI/DF situa-se praticamente no mesmo patamar das demais capitais da Federação (36,5 pontos), segundo dados da pesquisa nacional da CNI.

Para o presidente da Fibra, Jamal Bittar, “a falta de confiança do empresário somada à conjuntura de recessão econômica atual tem impacto imediato na intenção de investimento, fator determinante para a retomada de desenvolvimento do parque fabril local”. O presidente reitera que o DF tem disponível para 2016, mais de R$ 900 milhões de recursos do Fundo Constitucional do Centro-Oeste. “Contudo, enfrentamos problemas. Temos dinheiro, mas não temos demandante. Isso ainda se agrava na medida em que o dinheiro tem alto custo”, comenta. Bittar se refere ao reajuste nas taxas de juros, indexadores dos contratos do FCO, aprovadas pelo Banco Central já no fim de 2015.

 

 

 

 


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Fevereiro 11 2016

O Sindicato das Indústrias da Informação do Distrito Federal (Sinfor) é um dos proponentes do modelo de construção e administração do Parque Tecnológico Capital Digital. Em atenção à resolução publicada pelo Governo do Distrito Federal em novembro de 2015, o Sindicato apresentou Manifestação de Interesse Público pela gestão da área que será compartilhada por meio de Parceria Público-Privada (PPP). 

“Como parte interessada e atuante na execução deste projeto desde o início, em 2002, apresentamos um modelo de gestão, operação e manutenção do espaço com sugestões que atendem aos anseios do segmento fazendo com que o PTCD ofereça condições de desenvolvimento para as empresas de Brasília, que apostaram na vocação tecnológica da cidade e ajudaram a torná-la importante no cenário nacional,  que abra oportunidades para novos investimentos nacionais e internacionais”, avalia o presidente do Sinfor, Ricardo Caldas.

A proposta abrange questões técnicas, financeiras e jurídicas e institucionais que favoreça um ambiente inovador, científico, competitivo e, ao mesmo tempo, colaborativo no sentido de transformar a capital do país uma referência em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) pelo conjunto de ideias e projetos.

“Precisamos criar instrumentos de atração para as empresas. Se não oferecermos incentivos, não seremos atrativos. Estamos falando de um espaço que precisa ser gerenciado de tal forma que garanta sua perpetuidade”, defende Caldas.

A área abrangida pela MIP  é de 958 mil m², onde serão instaladas empresas de base tecnológica, centros de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e infraestrutura de serviços de uso comum.

 

O Sinfor acompanha o projeto do Parque Tecnológico Capital Digital desde a concepção da ideia, em 2002. Toda a proposta, as oportunidades oriundas da criação do Parque e os detalhes da execução são tema de publicações editadas pelo Sindicato. O último livro sobre o tema foi lançado em novembro de 2015 e está disponível para consulta no link: www.sinfor.org.br.


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Fevereiro 19 2016

O Centro Internacional de Negócios (CIN) da Federação das Indústrias do Distrito Federal (FIBRA) os convida a participar e solicita a divulgação da Feira CeBIT 2016, que acontecerá entre os dias 12 e 19 de março em Hannover, Alemanha, conforme convite anexo.

A CeBIT é considerada líder dentre os eventos dos negócios digitais, é o local onde profissionais de todas as áreas se reúnem para compartilhar ideias, know-how e para realizar negócios. O evento é considerado uma das maiores exposições comerciais do mundo na área de telecomunicações digitais e da informação. Os participantes terão a chance de se aproximar mais de futuros compradores e fornecedores do setor de software.

INSCRIÇÕES ATÉ O DIA 25/02! Acesse: http://www.cebit.de/en/register-plan/for-visitors/

A Rede CIN, dispõe de pacotes de viagem saindo de Brasília e outras capitais. Participando juntamente com a Rede CIN, o empresário terá os seguintes benefícios: apoio técnico, estande, ingressos, deslocamento interno, entre outros.

O CIN está à disposição de sua empresa para qualquer esclarecimento por meio do e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. e dos telefones (61) 3362-6122 / 3403-0884.

 

 


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Fevereiro 01 2016

A agenda de missões internacionais promovidas pela Rede de Centros Internacionais de Negócios (Rede CIN), coordenada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e parceiros, como a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), começa em março, com oportunidades para empresas de softwares e cosméticos. Dois grandes eventos estão programados.

Entre 14 e 18 de março, a cidade alemã de Hannover sedia a CeBIT, a mais importante feira de tecnologia da informação e indústria digital do mundo. Realizado desde 1986, o evento mescla exposição, lançamento de produtos, palestras e encontros de negócios. No ano passado, a CeBIT teve a participação de 3.300 empresas de 70 países, além de mais de 220 mil visitantes.

A missão brasileira é articulada pelo CIN de Santa Catarina e vai ajudar as empresas a identificar potenciais parceiros comerciais, para cooperação tecnológica, analisar a concorrência internacional e as tendências mundiais no setor. O mercado global de tecnologia da informação movimenta mais de US$ 3,4 trilhões. O Brasil domina o cenário na América Latina, com 56% do mercado na região, e pode crescer até 9% até em 2016.

BELEZA - Março também é o mês da Cosmoprof Worldwide, considerada a feira internacional mais completa da indústria da beleza, há 49 anos sediada em Bolonha, na Itália. O evento, que será realizado entre 17 e 21 de março, é dividido em duas partes. A Cosmopack é voltada para matérias-primas, máquinas e equipamentos, além de embalagens. Já a Cosmoprof é a única do gênero que reúne expositores de todas as categorias da indústria da beleza, atraindo  grandes compradores internacionais. A expectativa é que 300 mil pessoas visitem o local.

O CIN da Bahia lidera a delegação empresarial do Brasil. Antes de chegarem a Bolonha, os empresários brasileiros farão visitas técnicas ao departamento de cosméticos e higiene pessoal da Estação Experimental para a Indústria (innovhub) e ao Instituto Dermatológico Europeu. As atividades buscam encontrar filões aos produtos nacionais no mercado global, identificar o que há de novo em tecnologia e produtos e aumentar a experiência e competitividade da indústria brasileira.

Por Ariadne Sakkis

Fotos: Divulgação

 

Da Agência CNI de Notícias


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Fevereiro 14 2016
Contribuição Sindical 2016

Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Dezembro 21 2015

Os associados do Sindicato das Indústrias da Informação do Distrito Federal (Sinfor/DF) passarão a contribuir com os trabalhos sociais realizados na Casa Abraço, entidade voltada à educação cultural de crianças na cidade de Cavalcante (GO). O projeto foi selecionado por apresentar objetivo compatível com o do Sindicato ao adotar uma causa humanitária: o desenvolvimento sociocultural de crianças e jovens com poucas oportunidades e grande potencial criativo.

A Casa Abraço acolhe descendentes de calungas, moradores de quilombos localizados no interior do estado de Goiás. Na residência usada como sede do projeto, voluntários desenvolvem atividades de lazer que envolvem educação ambiental, cultural, social e incluem noções de saúde e bem estar.

O Sinfor/DF colabora com ações que visem a oportunizar melhores condições de desenvolvimento pessoal a comunidades carentes. O Projeto Reciclando Sons, da Cidade Estrutural, também recebeu apoio da entidade. Os jovens atendidos foram uma das atrações da cerimônia de posse da nova Diretoria, quando tocaram em instrumentos próprios da música erudita clássicos como “Divertimento”, “Último dos Moicanos” e “Canto de la Tierra”.


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Dezembro 21 2015

Em parceria com o Sebrae, a entidade capacitou cerca de 200 profissionais em 2015

O fortalecimento das equipes de liderança e empreendedorismo no mercado brasiliense foi um dos desafios propostos pelo Sindicato da Indústria da Informação do Distrito Federal (Sinfor) neste ano. Cerca de 200 pessoas foram capacitadas nos últimos meses para lidar com soluções estratégicas, desenvolvimento pessoal e coletivo no ambiente de trabalho. O resultado esperado é um quadro de profissionais cada vez mais preparados para acompanhar as tendências e dinamismo do mercado de TI.

As atividades ocorreram em forma de palestras e treinamentos desenvolvidos em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Entre os temas abordados, os participantes aprenderam a controlar tempo, liderar equipes, dividir tarefas, comunicar diretamente ao público interno, organizar e conduzir reuniões de trabalho e outros assuntos pertinentes a tomada de decisões e gerenciamento de idéias dentro de uma empresa.

“Não existe indústria competitiva sem mão de obra adequada inserida no mercado. O Sinfor tem entre suas atribuições fortalecer o empresariado local e, com este método de ensino, cumpre seu papel não apenas focado no desempenho dos associados, mas dando oportunidades efetivas de crescimento profissional e gerando emprego e renda na cidade”, afirma o presidente da entidade, Ricardo Caldas.

Além da parceria com o Sebrae, o Sinfor também divulga eventos de capacitação oferecidos em todo o Distrito Federal. As oportunidades são publicadas no site oficial do Sindicato mensalmente. As vagas são limitadas e distribuídas por ordem de inscrição. 


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Setembro 26 2016

A comissão criada pelo Sindicado das Indústrias da Informação do Distrito Federal (Sinfor/DF) para analisar a proposta da Convenção Coletiva aprovou os termos que irão vigorar em 2016/2017. As novas regas passam a valer com data retroativa de 1º de maio deste ano.

A Convenção aprovada estabelece o piso salarial do trabalhador do setor de Tecnologia da Informação em R$ 1.100,00. Aqueles que recebiam valor inferior desde maio deste ano deverão receber a diferença nos mês de setembro (50%) e novembro (50%), sem juros ou correções monetárias. As empresas que efetivaram reajustes voluntários ao longo deste período poderão abater o montante para atingir a meta salarial negociada. 

Além disso, o vale alimentação, que era de R$ 15, passa para R$ 16,50. As empresas que fornecem refeição no local estão dispensadas da obrigação de ofertar esse benefício em dinheiro.

Para o presidente do Sinfor/DF, Ricardo Caldas, o avanço nas condições de empregabilidade fortalece o setor na medida em que incentiva a melhoria da relação patronal, além de contribuir com a qualidade de vida dos funcionários. “O custo de vida do brasileiro está mais caro e nosso setor não poderia ficar defasado. O piso é apenas uma base de cálculo para evitar a desvalorização da mão de obra em TI, mas sabemos que nossos colaboradores recebem acima da média nacional. Isso os motiva à dedicação e profissionalização contínua”, afirma Caldas.

Leia o documento completo no link abaixo. 


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Setembro 21 2016

Entidades pediram agilidade em projetos que viabilizam o Parque Tecnológico Capital Digital, anel viário e linhas de crédito.

O presidente da República, Michel Temer, recebeu, nesta terça-feira (13), uma comitiva de empresários e representantes sindicais para ouvir demandas do setor produtivo. Em encontro que durou cerca de 1h30, os presidentes dos sindicatos e federações, entre eles o Sinfor/DF - a convite da Fibra, entregaram uma carta com tópicos que necessitam ser tratados com urgência sob o ponto de vista da indústria.  O destaque foi para o Parque Tecnológico Capital Digital, linhas de crédito, construção de anel viário e outras obras de infraestrutura.

“O PTCD foi apresentado ao presidente recém-empossado como forma de mudar a matriz econômica do Distrito Federal. É um projeto de 15 anos que precisa ser viabilizado definitivamente, especialmente, neste momento em que o governo busca soluções para sair da crise e investir em ideias sustentáveis”, narrou o presidente do Sinfor/DF, Ricardo Caldas. “Reforçamos a necessidade de retomar as atividades e o envolvimento do governo com o setor, seja nas políticas públicas ou nas negociações de novos contratos".

Em carta entregue a Temer, a Fibra reforçou que “Brasília já demonstrou ter vantagem competitiva em áreas como tecnologias da informação e o Parque Tecnológico Capital Digital servirá de base para o surgimento de uma nova indústria, estimulando a celebração de instrumentos de cooperação entre diversos parceiros e entidades que devem servir de âncora e fator de atração de novos empreendimentos de pesquisa, formação de pesquisadores e de empresas de alta tecnologia”. Neste sentido, o presidente da entidade, Jamal Bittar, cobrou a participação e apoio do governo federal.

Em resposta, o presidente Temer destacou ser importante apoiar a indústria como forma de redução do desemprego e movimentação da economia. Michel se comprometeu a analisar as questões individualmente.

Crédito

A reunião também abordou as barreiras encontradas pelo setor produtivo para investir nos negócios e inovação de seus produtos e serviços. Como prioridade, os representantes das entidades solicitaram, por exemplo, a flexibilização do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), tanto na documentação exigida quanto à concessão de capital de giro, de 20% para 50%.

A reunião contou ainda com a presença dos presidentes da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, da Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra), Jamal Jorge Bittar, das Federações da indústria de Goiás, de Mato Grosso do Sul e do Espírito Santo, além de presidentes dos sindicatos da indústria do DF.


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Junho 21 2016
O diretor de Prospecção e Formulação de Novos Empreendimentos da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap), Mario Henrique Lima, informou que o Parque Tecnológico Capital Digital será lançado em outubro, durante o Congresso Mundial de Tecnologia da Informação – WCIT Brasil. O anúncio foi feito durante Audiência Pública realizada nesta quinta-feira (16), na Câmara Legislativa do Distrito Federal.

Página 4 de 4