Terça, 19 de Setembro de 2017

Destaques Sinfor

Destaques Sinfor 47

Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Julho 20 2016

Em parceria com o Instituto Eldorado, a Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra) realiza, no dia 29 de junho, das 14h às 18h, a capacitação “Internet das Coisas”. 


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Junho 13 2016
A Comissão de Negociação da Convenção Coletiva se reuniu, nesta segunda-FEIRA (13), com o SITIMMME para discutir as reivindicações dos trabalhadores.

Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Maio 05 2016

Os empresários que desejam investir em seus negócios já podem requisitar a linha de crédito do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO). O prazo para solicitação está aberto até que se esgotem os recursos direcionados para as empresas. Os interessados devem entrar em contato com suas agências bancárias o mais breve possível.

O FCO é uma linha creditícia ofertada pelo governo com taxas mais atrativas que pode ser utilizada no financiamento de obras/reformas na sede da empresa; aquisição de máquinas e equipamentos; aquisição de veículos (apenas caminhões e furgões- veículo utilitário fechado para transporte de mercadorias- novos e usados com até 4 anos); sendo possível, ainda, conforme cada caso, a inclusão de capital de giro associado (até 30% do valor do investimento aprovado).

O prazo para financiamento também é diferenciado, podendo chegar a 12 anos, de acordo com a destinação do recurso, além de até 3 anos de carência. A taxa de juros de 11.18% a.a; e considerando-se o bônus de adimplência (desconto de 15% sobre os juros com o pagamento pontual das parcelas), resulta numa taxa mensal de 0,79% a.m.

 (*) A proposta de financiamento de cada empresa será analisada no âmbito da agência, conforme os normativos da linha de crédito, no que refere-se ao público-alvo, limite de crédito, valor financiado, condições de contratação e garantias.


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Abril 20 2016

A convite do senador Helio José (PMDB-DF), o presidente do Sindicato das Indústrias da Informação do Distrito Federal (Sinfor), Ricardo Caldas, participou, nesta terça-feira (19), de audiência pública que debateu a construção do Parque Tecnológico Capital Digital (PTCD). Na ocasião, Caldas voltou a destacar as diretrizes do projeto inicial, cujo objetivo ressalta o desenvolvimento das empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) como forma de privilegiar a vocação da cidade para o setor, com geração de renda e emprego para a população.

 

O debate girou em torno da destinação da área e da previsão de orçamento para a construção do PTCD. O presidente do Sinfor defendeu o modelo sugerido pela entidade na Manifestação de Interesse Público (MIP) entregue em janeiro ao Governo do Distrito Federal. O documento propõe que a execução do projeto seja custeada por empresas do setor, o que permitiria o início imediato das obras, sem onerar o governo.

“A sociedade precisa de empregos e essas as vagas devem ser geradas no setor produtivo, pois a Administração Pública não tem mais capacidade de aumentar a folha de pessoal. Oferecemos na MIP um projeto que construímos ao longo de 15 anos. Não queremos recursos públicos, gostaríamos de investir para desenvolver nossos produtos em sinergia com a área de pesquisa e em ambiente favorável”, afirmou Ricardo.

De acordo com o Sinfor, a ativação do PTCD irá culminar em cerca de 60 mil empregos. O presidente da entidade lembrou que o setor gera, atualmente, por 49 mil postos de trabalho em mais de quatro mil empresas estabelecidas. Ao todo, a TIC contribui com R$ 3,1 bilhões anuais de faturamento.

“Não podemos mais esperar outras resoluções legais. Sabemos que leis complementares são difíceis de mudar e levam tempo. Temos capital circulando e o interesse de grandes investidores, principalmente, internacionais que querem estar no projeto, pois acreditam no retorno”, disse Caldas

 

Reconhecimento do Sinfor

O deputado federal Izalci Lucas (PSDB-DF) participou da audiência pública e cobrou do governo uma visão a longo prazo. Para Izalci, o projeto deve ser conduzido com uma visão menos comercial e mais produtiva do ponto de vista do desenvolvimento da Tecnologia da Informação e Comunicação.

Neste ponto, o deputado cobrou a inclusão contínua do Sindicato das Indústrias da Informação (Sinfor) nos debates acerca da redação do edital e da construção do Parque Tecnológico. Izalci destacou que a entidade esteve envolvida no projeto desde a concepção da idéia, bem como representa a visão fidedigna do mercado.

 

Também participaram da audiência pública o Secretário Subjunto do Ministério de Ciências, Tecnologia e Informática – MCTI, Jorge Mário; o Secretário Adjunto da Secretária de Tecnologia e Informática – SECTI, Oscar Klingl; o pesquisador e representante da Universidade de Brasília –UNB, Jaime Santana; e o Diretor de Assuntos de Desenvolvimento Tecnológico da Federação das Indústrias do Distrito Federal (FIBRA), Graciomário Queiroz. 


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Março 30 2016

Os empresários de Tecnologia do Distrito Federal promoveram uma grande festa de Páscoa para 320 crianças carentes da cidade de Cavalcante (GO). Por meio de doações, voluntários do Sindicato das Indústrias da Informação do DF – Sinfor/DF distribuíram ovos de chocolate e ofereceram uma tarde de descontração para os pequenos.

 

 

As crianças são parte do projeto da Casa Abraço, que acolhe descendentes de calungas, moradores de quilombos localizados no interior do estado de Goiás.

 

 “É uma forma de estimular a criatividade e a imaginação das crianças. Independente de credos religiosos, esta é uma data comemorada em todo o mundo e quisemos dar essa oportunidade para os pequenos da Casa Abraço. É uma forma de investir na cultura, na educação e no lazer das crianças brasileiras”, afirma o presidente do Sinfor, Ricardo Caldas.

 

Na residência usada como sede do projeto, voluntários desenvolvem atividades de lazer que envolvem educação ambiental, cultural, social e incluem noções de saúde e bem estar. O Sinfor/DF adota o projeto para direcionar as ações sociais e arrecadações ao longo do ano. No Domingo de Páscoa, os empresários recepcionaram as crianças com decoração colorida, apresentações e uma cesta repleta de ovos de chocolate. Os voluntários contaram a história da ressurreição de Cristo e incentivaram os pequenos a agradecer e enviar preces ao menino Jesus.


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Março 09 2016

O Sindicato das Indústrias da Informação do Distrito Federal (Sinfor/DF) assinou convênio com a escola de idiomas Mr. Lincoln. A parceria garante aos associados e filiados do Sindicato 20% de desconto nas aulas de inglês e espanhol. O benefício é extensivo aos dependentes dos membros da entidade.

 

A Mr.Lincoln oferece cursos para crianças a partir dos três anos de idade. As aulas ocorrem diariamente das 8h às 21h, com cerca de 1h15 de duração, na QSA 03 – Taguatinga Sul e na SGAS 608 Bloco G - L 2 sul. Os empresários associados ao Sinfor também poderão optar por formar turmas de funcionários e receber os professores na sede da empresa. Neste caso, as lições serão repassadas no horário de preferência do contratante.

Para usufruir do benefício, basta apresentar um comprovante de filiação ao Sinfor no ato da matrícula.

 

Conheça outros convênios firmados pelo Sindicato em favor da educação, saúde e bem estar dos associados no link:http://sinfor.org.br/index.php/convenios.

 


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Março 03 2016
Em reunião com Ricardo Caldas, Leany Lemos destaca projeto do PTCD

Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Fevereiro 19 2016

O presidente do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF), Renato Rainha, recebeu das mãos de Ricardo Caldas, presidente do Sindicato das Indústrias da Informação do DF (Sinfor), o livro Parque Tecnológico Capital Digital. A publicação é a mais recente reunião de dados sobre o projeto produzida pelo Sinfor no sentido de demonstrar a relevância da criação do polo de TI para a cidade.

Durante o encontro, que ocorreu na sede do TCDF, Ricardo Caldas reforçou aspectos que demostram a amplitude dos benefícios que o Parque Tecnológico Capital Digital (PTCD). O presidente do Sinfor lembrou que, além de atrair investimentos e os olhares da indústria -nacional e internacional - para a Capital Brasileira por meio do desenvolvimento de pesquisas e novas tecnologias, o PTCD irá gerar milhares de empregos e movimentar a economia local.

“Hoje, o setor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) gera cerca de 30 mil empregos, segundo pesquisas. Somente em 2014, nossa indústria somou, aproximadamente, R$ 3,1 bilhões em receita, o que influencia diretamente em novos investimentos e no crescimento das empresas. É, sem dúvidas, uma área estratégica para desenvolvimento no atual cenário econômico do país”, disse Ricardo.

Renato Rainha parabenizou o presidente do Sinfor pela proatividade na condução do tema junto ao poder público e à iniciativa privada. Rainha destacou a visão de futuro demonstrada pela entidade ao estimular um projeto que irá empregar a atual geração de novos profissionais e desenvolver a cidade de forma sustentável e produtiva.

 

Assim como o presidente do TCDF, outras autoridades da Administração Pública receberão o livro sobre o Parque Tecnológico Capital Digital. A distribuição da publicação é uma estratégia do Sinfor para reforçar a vocação de Brasília para se tornar um polo de TIC nacional e mundial.


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Fevereiro 15 2016

A falta de demanda para as indústrias brasilienses tem feito com que os empresários registrem quedas expressivas na produção e nos postos de trabalho do setor. De acordo com a Sondagem Industrial, levantamento apurado em dezembro pela Federação das Indústrias do DF (Fibra), em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que a “Demanda Insuficiente” é o principal problema enfrentado pelo industriário local, sendo assinalado por 55,6% dos entrevistados. Aparecem em segundo e terceiro lugares a “Falta ou o alto custo da matéria-prima” (33,3%) e a elevada carga tributária (29,6%), como entraves para a retomada de crescimento do setor.

Segundo a pesquisa, o índice de evolução da produção alcançou 38,4 pontos em dezembro. Frente a igual período do ano anterior, houve recuo de 1,9 ponto percentual. Se comparada à média histórica, a produção industrial caiu 9,6 pontos. A metodologia da pesquisa considera valores de 0 a 100 pontos. O distanciamento da linha divisória dos 50 pontos sinaliza queda mais disseminada nos indicadores pesquisados.

O número de empregos na indústria, por exemplo, fechou dezembro em 34,3 pontos, retração de 3,9 pontos frente ao mês de novembro. O movimento indica que a queda dos empregos foi mais acentuada no período em análise – este foi o pior resultado do indicador desde o início da série em 2010.

Já o índice médio da Utilização da Capacidade Instalada (UCI), por sua vez, alcançou 62% em dezembro, aumento de 4 pontos percentuais na comparação com o mês anterior. Embora tenha sido registrado aumento na UCI no período, em relação a iguais meses de anos anteriores, o resultado para o mês de dezembro do UCI efetiva-usual ficou em 28,3 pontos – também o pior resultado da série para os meses de dezembro.

Os galpões industriais também estão esvaziando. O levantamento mostra que os estoques finais ficaram em 38,2 pontos, recuo de 6,9 pontos em relação ao mês de novembro.

 

Confiança abalada

Diante do cenário apresentado pela Sondagem Industrial o clima empresarial não podia ser de otimismo. O Índice de Confiança do Empresário Industrial do DF (ICEI/DF), também apurado pela Fibra, em parceria com a CNI, fechou o mês de janeiro em 36,7 pontos, recuo de 0,1 ponto frente ao mês anterior. Em relação à média histórica dos últimos cinco anos (50,1 pontos), o índice registrou recuo de 13,4 pontos. O posicionamento do ICEI/DF bem abaixo da linha dos 50 pontos reflete a falta de confiança dos empresários no cenário de curto prazo.

O resultado do ICEI em janeiro é puxado pelo indicador de Condições Atuais, que ficou em 25,1 pontos neste início de ano. Verifica-se a descrença do empresário diante da Economia Brasileira (17,4 pontos); da Economia do DF (19,2 pontos) e até quanto a própria empresa (28,5 pontos).

O Indicador de Expectativas também encontra-se abaixo dos 50 pontos, registrando, em janeiro, 42,5 pontos. Embora seus componentes tenham apresentado aumentos na comparação com dezembro, todos os índices permanecem distantes da linha divisória, o que demonstra falta de confiança em relação ao futuro.

Contudo, percebe-se que o sentimento de pessimismo é comum ao País como um todo. O ICEI/DF situa-se praticamente no mesmo patamar das demais capitais da Federação (36,5 pontos), segundo dados da pesquisa nacional da CNI.

Para o presidente da Fibra, Jamal Bittar, “a falta de confiança do empresário somada à conjuntura de recessão econômica atual tem impacto imediato na intenção de investimento, fator determinante para a retomada de desenvolvimento do parque fabril local”. O presidente reitera que o DF tem disponível para 2016, mais de R$ 900 milhões de recursos do Fundo Constitucional do Centro-Oeste. “Contudo, enfrentamos problemas. Temos dinheiro, mas não temos demandante. Isso ainda se agrava na medida em que o dinheiro tem alto custo”, comenta. Bittar se refere ao reajuste nas taxas de juros, indexadores dos contratos do FCO, aprovadas pelo Banco Central já no fim de 2015.

 

 

 

 


Escrito por Publicado em Destaques Sinfor Fevereiro 11 2016

O Sindicato das Indústrias da Informação do Distrito Federal (Sinfor) é um dos proponentes do modelo de construção e administração do Parque Tecnológico Capital Digital. Em atenção à resolução publicada pelo Governo do Distrito Federal em novembro de 2015, o Sindicato apresentou Manifestação de Interesse Público pela gestão da área que será compartilhada por meio de Parceria Público-Privada (PPP). 

“Como parte interessada e atuante na execução deste projeto desde o início, em 2002, apresentamos um modelo de gestão, operação e manutenção do espaço com sugestões que atendem aos anseios do segmento fazendo com que o PTCD ofereça condições de desenvolvimento para as empresas de Brasília, que apostaram na vocação tecnológica da cidade e ajudaram a torná-la importante no cenário nacional,  que abra oportunidades para novos investimentos nacionais e internacionais”, avalia o presidente do Sinfor, Ricardo Caldas.

A proposta abrange questões técnicas, financeiras e jurídicas e institucionais que favoreça um ambiente inovador, científico, competitivo e, ao mesmo tempo, colaborativo no sentido de transformar a capital do país uma referência em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) pelo conjunto de ideias e projetos.

“Precisamos criar instrumentos de atração para as empresas. Se não oferecermos incentivos, não seremos atrativos. Estamos falando de um espaço que precisa ser gerenciado de tal forma que garanta sua perpetuidade”, defende Caldas.

A área abrangida pela MIP  é de 958 mil m², onde serão instaladas empresas de base tecnológica, centros de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e infraestrutura de serviços de uso comum.

 

O Sinfor acompanha o projeto do Parque Tecnológico Capital Digital desde a concepção da ideia, em 2002. Toda a proposta, as oportunidades oriundas da criação do Parque e os detalhes da execução são tema de publicações editadas pelo Sindicato. O último livro sobre o tema foi lançado em novembro de 2015 e está disponível para consulta no link: www.sinfor.org.br.


Página 3 de 4