Segunda, 18 de Dezembro de 2017

Servidores da CEB encerram greve após 10 dias de paralisação

Servidores da Companhia Energética de Brasília (CEB) decidiram encerrar nesta quinta-feira (16), durante assembleia da categoria, a greve iniciada no dia 6 de novembro. Os funcionários aceitaram a proposta apresentada pela companhia na audiência de conciliação realizada na sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) na última terça-feira (14).

Os trabalhadores acataram a oferta de reajuste salarial de R$ 140,96, tíquete-alimentação de R$ 1,3 mil por mês, além da garantia de abono de metade dos dias parados e compensação do restante do período pelos servidores que paralisaram as atividades desde o início do movimento grevista.

Durante a paralisação dos funcionários da CEB, o Distrito Federal foi atingido por uma forte chuva, que causou estragos em vários pontos da capital, como queda de árvores, alagamento de ruas e interrupção no fornecimento de energia elétrica.

Dois dias após o início da greve, a CEB contabilizou 2.149 pontos de reparo no sistema. Segundo a companhia, todos os problemas decorrentes da tempestade foram normalizados nesta semana.

Na sexta-feira passada (10), o GDF havia determinado à diretoria da CEB que cortasse o ponto dos servidores grevistas. O governo do DF também estipulou que a Companhia Energética de Brasília questionasse, na Justiça, a greve deflagrada pelos funcionários.

Em nota, o Palácio do Buriti afirmou que a paralisação era "inadmissível" e causava "enormes e desnecessários transtornos".

"É inadmissível que, num momento em que boa parte da cidade sofre sérios danos com as sucessivas enxurradas, os funcionários da empresa entrem em greve e deixem de atender plenamente a milhares de pedidos de reparos", afirmou Rollemberg no comunicado.

No sábado (11), o TRT em Brasília determinou que os servidores da CEB atendam "prontamente" 100% dos chamados relacionados a problemas emergenciais e de suspensão de energia elétrica.

 

Fonte: G1

Ler 80 vezes